Wol Extreme – 2ª Etapa em Maricá

Relato enviado pelo correspondente Trail André Agualuza, o Cake.

No dia 29 de março aconteceu mais uma etapa da Wol Extreme -Trial Run, essa prova é muito conhecida por ser uma prova “pesada”, um das provas de montanhas mais difícil do estado do Rio.

tds

Ao contrário do tradicional, essa segunda etapa não foi realizada nos municípios de Saquarema como sempre e sim em Espraiados, que faz parte de Maricá, um local muito bonito, com córregos que passam pelas estradas, sim, os carros são obrigados a atravessarem alguns riachos, além de muitos córregos e cachoeiras nas trilhas, mas não vai pensando que é tudo lindo, tudo maravilhoso, lá também tem muitos morros, muitas subidas, esse item não pode faltar nas corridas de montanha.

Entrega dos Kits

A entrega dos kits foi feita em dois dias, na sexta, dia 27, em Niterói na loja Barcellos Sports, de fácil acesso para o pessoal do rio e Niterói, o único problema foi a alteração do horário, parece que alguns itens do kit haviam sido extraviados e no sábado, dia 28, houve a entrega do kit no mesmo local da largada.

O kit

Composto de camiseta, Squeeze, número de peito e quatro alfinetes desagradou a alguns atletas inscritos. Eu, particularmente, gostei muito da camiseta, acho que poderia ter outros atrativos como bonés ou viseiras, dentre outros itens.

A Prova

A Wol Extreme tem várias categorias dentro do evento, que são:

CaniCross, onde o atleta corre “acoplado” ao seu cachorro, uma prova diferente e muito legal ver os bichinhos se divertindo, essa prova teve 5 km de distância, não só o atleta, mas o cão também tem que estar preparado.

canicross

Trail Run, essa teve duas distâncias, 10 km e 18 km,

Mountain Bike, foram 18 km de pura adrenalina.

mt

Eu participei da corrida de 10 km, no começo do mês eu tinha feito uma prova de 50 km e não quis forçar com uma distância maior com medo de lesões.

A Largada ocorreu em diversos horários de acordo com as categorias, porém a corrida de 10 e 18 km foram juntas as 8:30 hs.

Saímos do Haras e pegamos um pequeno trecho de estrada em paralelepípedos e logo chegamos à estrada de terra, segundo o GPS, foram um pouco mais de 2,5 km até a primeira e acho que a mais dolorosa subida, foi uma subida muito pesada e o sol atingiu os atletas e cheio, não deixando uma sombra sequer para aliviar, já com mais ou menos 5,2 Km de prova, chegamos ao topo da montanha e daquele ponto até o fim foi um tobogã dentro da mata, só o Km final que voltamos a estrada de paralelepípedo até entrar no Haras novamente e aí sim a linha de chegada.

Minha Participação

Como já disse, no começo do mês eu havia feito uma prova de 50 km e logo depois da prova viajei e ainda na viagem eu peguei um rota vírus onde fiquei muito mal, assim não treinei direito após a ultra maratona, sendo assim, não quis forçar muito e com tudo isso acontecendo, ainda consegui ficar em segundo lugar na minha categoria (30-34 anos), onde achei que o resultado da minha participação foi melhor do que eu esperava.

Pontos de Melhoria

No meu ponto de vista, falta um gatorade, ou outro de marca diferente na chegada, além disso, uma marcação nas trilhas melhor, muita gente reclamou de se perder e perder posição por pegar o caminho errado, eu, por exemplo, peguei um caminho errado, a fotógrafa que estava perto foi quem me orientou sobre o caminho correto e por último, a cerimônia de entrega de medalhas não ser tão tarde, muitos acabaram indo embora deixando o pódio incompleto.

A proxima etapa será dia 3 de maio.

Deixe seu comentário